Publicidade


Felipe Maia avalia cortes no Orçamento







O governo federal anunciou o corte de quase R$ 70 bilhões no Orçamento deste ano. Esse valor, de acordo com o deputado Felipe Maia (DEM), será cortado de investimentos e dos benefícios dos trabalhadores. “O fato é que a conta chega. E quem vai pagar essa conta? O governo federal, responsável pelo rombo, ou o povo brasileiro? A população, claro. A conta cai no colo do trabalhador, do pai e da mãe de família que terá a redução em seus direitos trabalhistas, como o seguro-desemprego, o auxílio-doença, a pensão por morte, e a diminuição das obras edificantes do Brasil. Esse é o presente que o governo do PT dá ao povo brasileiro”, disse o parlamentar, em discurso no plenário, nesta terça-feira (26).

O Poder Executivo reduzirá os repasses para programas e obras de todas as pastas. O ministério que apresentou o maior valor contingenciado foi o das Cidades, com cortes de R$ 17,23 bilhões (54,2%). O Ministério da Saúde terá R$ 11,77 bilhões a menos para investir e o da Educação teve redução de R$ 9,42 bilhões em seu orçamento. O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) sofreu corte de R$ 25,7 bilhões e o Programa Minha Casa, Minha Vida, de quase R$ 7 bilhões.

“O governo federal está cortando onde nós poderíamos voltar a crescer, que é no investimento do Brasil. Está cortando onde não poderíamos cortar, que são nas conquistas trabalhistas. Por causa da falta de planejamento e da irresponsabilidade do Executivo, a conta chegou e será paga pela população. Corte de Ministérios ou de cargos comissionados, nenhum. Já o trabalhador pagará a conta e terá seus benefícios reduzidos”, destacou.

Nenhum comentário