Publicidade


Sistema de licenciamento eletrônico, SISLIA, beneficia empreendedores em todo o RN


O Governo do Estado lançou nesta terça-feira, 23, o Sistema de Licenciamento Ambiental Eletrônico (SISLIA) que vai permitir o pedido de licenças ambientais aos pequenos empreendimentos pela internet. O presidente do Sistema FIERN, Amaro Sales, esteve presente ao lançamento.
O Governador Robinson Faria disse, na solenidade, no auditório da Governadoria, que “esta é uma conquista não só do Governo, mas de toda a sociedade por que vai agilizar a instalação de centenas de novas pequenas empresas e dinamizar a economia com a geração de empregos e aumentar a arrecadação de impostos”.
Robinson Faria ainda ressaltou que o SISLIA "é uma iniciativa importante do Governo para adequar o trabalho do Idema à modernidade, dando agilidade e confiabilidade ao serviço de emissão das licenças. O sistema implantará a modernidade, uma nova era no que se refere ao trabalho do Governo do Estado na área ambiental, e ele é possível graças ao empenho de uma equipe técnica, altamente qualificada e comprometida com a melhor prestação do serviço à população".

O SISLIA foi desenvolvido pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte (IDEMA), em parceria com SEBRAE/RN. O pequeno empreendedor poderá dar entrada no pedido de licenciamento ambiental através da internet ou em qualquer Escritório Regional do SEBRAE no Rio Grande do Norte.
O presidente do Sistema FIERN, Amaro Sales, destacou a importância da modernização do sistema de licenciamento ambiental para o desenvolvimento econômico do RN. "Havia 20 milhões em investimentos presos na gaveta do IDEMA. A liberação de 1800 processos mostra que faltou de vontade. Este processo deveria ser ampliado também para agilizar as vistorias realizadas pelo Corpo de Bombeiros e pela Vigilância Sanitária", destacou.
O diretor geral do IDEMA, Rondinelli Oliveira explica que “estamos fazendo uma transição do papel para o eletrônico, mas todas as etapas para o licenciamento serão cumpridas. Os processos continuarão passando pelas vistorias e análises técnicas com o diferencial que teremos maior agilidade e economia, e menos burocracia”.