Publicidade


CIRCULANDO EM OFF – 31.01.16


A COLUNA
Esta coluna nasceu por volta de 1986 no jornal O Mossoroense. Naquele tempo, sem internet,  o “off” nos permitia fazer fervilhar os furos dos bastidores da notícia, principalmente inerentes à questão política. Eram raros os meios de comunicação, assim como o número de profissionais. Eu e o diagramador Paulo César Rodrigues formatamos a coluna, mas no primeiro momento não era assinada. Além de editar O Mossoroense eu também era coordenador da sucursal do Diário de Natal/O Poti com a concordância dos comandos desses jornais. Mesmo assim, como eu estava a mais tempo no DN, preferi não assinar, o que gerava mais burburinho, embora logo o leitor passou a perceber que eu era o autor da publicação.
Para o “off”, criamos as figuras do “olhão”, quando a fonte era um homem e de “abelha”, quando a fonte se tratava de uma mulher. Quando me desliguei do Diário assumi a coluna que foi tomando formas ao longo do tempo.
Em seguida Circulando em Off se reencontrou com seus leitores no terno Jornal de Mossoró, uma publicação semanal que dirigimos junto com Paulo César e José Antônio, e de onde lançamos tantos bons profissionais que hoje brilham nessa seara árdua do jornalismo.
Depois veio o Jornal Metropolitano, que fundei com o jornalista Roberto Costa Lima há 15 anos  em Parnamirim, um semanário que se sustenta e se amplia com a chegada da TV Metropolitano ao sistema de comunicação, e que inclusive este ano estará em Mossoró como TV aberta. Circulando em Off ficou um tempo simultaneamente no Metropolitano e no Jornal de Mossoró.
Nos últimos doze anos, Circulando em Off esteve na Gazeta do Oeste, projeto do jornalista Canindé Queiroz e de Maria Emilia, que muito bem cumpriu sua missão como meio de comunicação potiguar.
Hoje, chegando aos 20 anos, a coluna encara um novo desafio, agora neste semanário associado a RedeNews de Comunicação. Novos tempos e em jornal/Revista impresso. A disposição é de manter o mesmo compromisso com o leitor, certamente embalado na realidade e no desejo de bem servir. Em off ou em on. Avante!
DEIXA ROLAR
Já soube que o ex-deputado Carlos Augusto Rosado, o estrategista da Rosa, vai deixar rolar essa onda dos empresários lançarem uma chapa competitiva na disputa da Prefeitura de Mossoró. Mas ele estaria pontuando alguns nomes que, na hora H, seriam fisgados. Se precisar. Isso é que é confiança.
AMPLIANDO
Mesmo com algumas baixas, o grupo de empresários liderados por Tião Couto, Jorge do Rosário e Michelson Frota não tem perdido tempo em juntar gente. Eles garantem que o projeto é pra valer e prometem dirimir dúvidas sobre reclamações de decisões fechadas que estavam sendo tomadas. “Não trata-se de um projeto personalista”, garante um integrante do grupo.
PR E PSDB
A propósito, os partidos PR e PSDB, estão de olho no projeto dos empresários. Cheios de vontade. O líder estadual do PSDB, deputado Rogério Marinho, não descansa, enquanto não concretizar o lançamento de uma candidatura própria em Mossoró. Não lhe falta habilidade.
MADRINHA
Ao contrário do que muita gente pensa, a “senadora” Rose Cantídio, fiel escudeira dos Alves em Mossoró, não é a madrinha do advogado e ex-presidente da OAB, Aldo Fernandes(PMDB), seu sobrinho, numa chapa que vem sendo especulada com a ex-governadora Rosalba Ciarlini(PP), na cabeça. Apesar de reconhecer que ele teve seus méritos na coordenação de Henrique Alves em Mossoró e que atuou com desenvoltura no comando da Ordem na cidade e região, inclusive com presença constantes nas discussões dos problemas sociais, ela desaconselha esse intento.
NOMES
Caso evolua a composição, o nome poderá surgir entre a presidente do partido em Mossoró, ex-prefeita Fafá Rosado, os veadores Alex Moacir, Claudionor dos Santos e Izabel Montenegro. Ou um tertius, seria  um nome novo no cenário. Há estímulo ao médico Cure de Medeiros, mas ele não aceita diante de um projeto que ele considera maior: o trabalho em favor das pessoas portadoras de câncer. Ele sabe que se entrar na política, perde apoio para sequenciar seu trabalho.
DISSIDENTE
Dissidente do grupo empresarial, o empreiteiro Weber Siqueira, garantiu aos empresários Damásio e Fernandinho Medeiros, que está disposto a fortalecer o projeto do Partido Republicano Brasileiro(PRB), em Mossoró. Fernandinho Medeiros, que é o presidente estadual do PRB, está no jogo, contando com o respaldo do diretório nacional da sigla.
TIBAU
Falar em PRB, em Tibau, surge como nome forte para polarizar com o prefeito Naldinho, o empresário Alex do Rei. Muito bem articulado, ele vem conseguindo unificar a oposição, inclusive devendo contar com o apoio dos ex-prefeitos Sidrônio Freire, Nilo Nolasco e Rafael Freire. A oposição unida seria o receio de Naldinho. É aguardar.
A QUEM INTERESSAR POSSA
"A responsabilidade de todos é o único caminho para a sobrevivência humana", já dizia Dalai Lama.
NO JOGO
O prefeito Francisco José Júnior(PSD) espera resultados concretos das novas medidas de contenção. Trabalha redobrado para dar a volta por cima. Tem dificuldades sim, mas conta com boa intenção e habilidade ao seu favor. 
EMPREENDEDORISMO
Ignorando a crise, os empresários Jair Queiroz, rede Queiroz,  e Júnior Praxedes, JP, ampliam seus investimentos, cada um no seu quadrado. Disposição, trabalho e coragem para crescer com a crise. É isso aí.
TV CÂMARA
O presidente da Câmara Municipal de Mossoró Jório Nogueira tem recebido muitos elogios pela iniciativa da criação da TV Câmara, canal que já vem sendo adotado pela comunidade.
CIRCULAÇÃO
O Jornal News360 voltará a circular normalmente após o período carnavalesco, com a cobertura do reinado de momo na região. A partir do diz 13 de fevereiro nos reencontraremos.
SEGURANÇA
O novo comandante da Polícia Militar, coronel Dancleiton Perreira Leite, mostra-se disposto a enfrentar a bandidagem. “O Estado vai ficar inseguro para o bandido. Atualmente, a população está com medo de sair de casa, mas, a partir de agora, os bandidos é que vão temer”. Quem fala assim não é gago.
SELIC
A decisão de manter a Taxa Básica de Juros (Selic) inalterada, tomada pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), é mais adequada do que uma opção pelo aumento, mas insuficiente para a retomada do crescimento. A avaliação é do presidente da Federação das Indústrias do RN (Fiern), Amaro Sales. Ele disse também que é essencial uma redução do custo do crédito no país.
EM TEMPO
O presidente da Fiern reafirmou que as empresas precisam de incentivos para que seja possível uma nova fase de desenvolvimento econômico e, para isso, a redução dos juros é um dos aspectos fundamentais.


RELAX – “Já sei olhar o rio por onde a vida passa/Sem me precipitar, e nem perder a hora/Escuto no silêncio que há em mim e basta/Outro tempo começou pra mim agora...”  ANA CAROLINA