Publicidade


Eleitores barrados em recadastramento biométrico no município de Felipe Guerra deverão recorrer à Justiça


Segue até o dia 16 de dezembro o recadastramento biométrico no município de Felipe Guerra/RN, onde uma situação intriga, dificulta o trabalho e divide opiniões. Trata-se do domicílio eleitoral de pessoas que geograficamente residem em outros municípios, mas se utilizam dos serviços públicos de Felipe Guerra e vinham optando por exercer sua cidadania naquele município. O caso envolve centenas de pessoas e muitas delas não tem conseguido “passar no filtro” da Justiça Eleitoral.

O fato é que, se observado o último senso do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o total de pessoas que estiveram aptas a votar na última eleição passada, o município de Felipe Guerra possui mais eleitores do que habitantes – 5.734 habitantes e 6.995 eleitores. A situação poderá mudar com o recadastramento biométrico. No entanto, muitos casos de pessoas barradas pela Justiça Eleitoral deverão ser judicializados.

Um dos precedentes para a provável judicialização de tais casos foi aberto pela situação de um vereador do município de Felipe Guerra. Max Morais (PTB), eleito o vereador mais votado nas eleições 2016, reside na comunidade rural de Santana, que para todos os fins de direito pertence ao município de Caraúbas. O vereador não enfrentou nenhuma dificuldade para passar pela biometria. No entanto, diversas pessoas, na mesma situação de Max Morais, foram barradas pela Justiça Eleitoral.

Até o momento, cerca de 5 mil pessoas conseguiram passar pelo recadastramento biométrico em Felipe Guerra, que tem Apodi, Caraúbas e Governador Dix-Sept Rosado como municípios limítrofes. 

REDE NEWS 360
Foto: Reprodução