Publicidade


Representantes do BNDES apresentam programas a empresários em Mossoró e conhecem potenciais da UERN


Cerca de 150 empresários dos mais variados segmentos produtivos do Rio Grande do Norte participaram da palestra com integrantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) realizada terça-feira (23) no hotel Thermas, em Mossoró.

Representantes da Associação Brasileira de Criadores de Camarão (ABCC), COEX, salinicultores, do turismo, das energias renováveis, da mineração dentre outras cadeias produtivas assistiram a palestra de Caio Cavalcante e Ricardo Torres, chefe e gerente, respectivamente, do Departamento Nordeste do BNDES.


Eles fizeram uma apresentação detalhada do trabalho do Banco na região Nordeste onde não só os investidores privados bem como os públicos contam sempre com a parceria da autarquia federal. Para o presidente do Sindicato da Indústria de Moagem e Refino de Sal do RN, Renato Fernandes, que articulou este encontro, foi de grande importância a vinda de membros do BNDES e da Sudene para conhecer de perto a realidade e os potenciais econômicos existentes no Rio Grande do Norte.

Durante o encontro, destaque para o debate onde todas as perguntas dos empresários foram respondidas e exemplificadas de forma a esclarecer as dúvidas e captar sugestões. “Foi um evento de suma importância para nossa economia. Os empresários compareceram e puderam contribuir para o desenvolvimento deste encontro que, farei o possível, para que aconteça mais vezes”, declarou.


Antes do encontro com empresários, Renato Fernandes levou os integrantes do BNDES e Sudene à Universidade Estadual do RN (UERN) onde foram recebidos pelo reitor Pedro Fernandes e sua equipe de pró-reitores. Durante a conversa, foi informado que a universidade já está com 20 produtos patenteados. 

Ciente desta informação, os representantes do BNDES explicou que o Banco dispõe do “Fundo Anjo”, que tem a finalidade de apoiar pequenos empreendimentos oriundos da academia e de empresas incubadoras.

Renato Fernandes ressaltou que os contatos com BNDES e Sudene serão estreitados nas próximas semanas para detalhar ainda mais os potenciais econômicos apresentados além do investimento nos produtos patenteados pela UERN.