Publicidade


Alberto Dines, fundador do Observatório da Imprensa, morre aos 86 anos


Da Redação

O fundador do Observatório da Imprensa, o jornalista Alberto Dines, morreu aos 86 anos às 7h15 terça-feira (22) em São Paulo.

Segundo a equipe do observatório, Dines morreu no Hospital Albert Einstein, no Morumbi, Zona Sul da capital paulista. Por decisão da família, o hospital não pode passar as causas da morte.

“É com profunda tristeza que a equipe do Observatório da Imprensa comunica o falecimento de seu fundador, Alberto Dines (1932-2018), na manhã de hoje no hospital Albert Einstein, em São Paulo. Estamos preparando uma edição especial sobre o legado do Mestre Dines a ser publicada em breve”, diz nota do instituto.


Alberto Dines iniciou sua carreira no jornalismo em 1952 na revista “A Cena Muda”; no ano seguinte mudou para a revista”Visão” para cobrir assuntos ligados à vida artística, ao teatro e ao cinema e logo depois passou a fazer reportagens políticas. Em 1957, ele trabalhou para a revista “Manchete”, até se demitir da empresa. Em 1959, assumiu a direção do segundo caderno do jornal “Última Hora”, de Samuel Wainer. Já em 1960, colaborou para o jornal Tribuna da Imprensa.

Em 1960, convidado por João Calmon, dirigiu o jornal “Diário da Noite”, dos “Diários Associados”, de Assis Chateaubriand. Já em 1962 tornou-se editor-chefe do “Jornal do Brasil”, no qual ficou por doze anos. No jornal, ele coordenou uma grande reforma gráfica e criou novas seções.

Segundo o diretor do “Jornal do Brasil”, Manuel do Nascimento Brito, com “a entrada de Dines, a reformulação do jornal foi afinal consolidada, pois ele sistematizou as modificações que levaram o JB a ocupar outra posição na imprensa brasileira”.

Ele também tem passagem pela “Folha de S.Paulo” e a Editora Abril.

Em 1994, Dines criou o Observatório da Imprensa, periódico crítico de acompanhamento da mídia.

Com informações do G1 / Fotos: Reprodução